Recuperação de Dados em Fitas Magnéticas

O seu backup está armazenado em Fitas Magnéticas e não consegue restaurá-lo? A PhD Recovery pode te ajudar.

Mais de 200 Fitas Magnéticas Recuperadas

Com mais de 13 anos de experiência em recuperação de dados, nos especializamos em recuperar Tape de qualquer modelo e ano

Soluções de acordo com as diretrizes da LEI GERAL DE PROTEÇÃO DADOS (LGPD)

Recuperar Dados em Fitas Magnéticas

Recuperar de Dados em Fitas Magnéticas
Recuperar Fitas Magnéticas

Nosso serviço é dedicado para quem precisa recuperar dados em Fitas Magnéticas e, por algum motivo, não está conseguindo executar os procedimentos compartilhados pelo fabricante do software de backup ou até mesmo pelo fabricante das fitas de backup.

A dor de cabeça e o desapontamento em receber a notícia da perda de um backup alocado em uma mídia offline (Magnetic Tapes), gera uma frustração muito grande para todos os gestores e, principalmente para o time de TI responsável pela custódia dos dados da empresa, uma vez que esse método de armazenamento de dados não pode falhar, pois normalmente acaba sendo a última opção para que a informação seja restaurada pelo time interno de TI.

Por vezes, erros humanos, falhas de leitura das fitas, acidentes ou desastres naturais, atualizações dos sistemas operacionais e, aplicações como os bancos de dados e servidores de e-mails, já são possíveis causas para que o processo de restore dos dados alocados em Fitas Magnéticas não ocorra como o planejado.

Quando algum problema ocasional surge em Tapes, é recomendado entrar em contato o mais rápido possível com um profissional dedicado para esse tipo de situação, para que de forma ágil e com segurança, a recuperação dos dados seja feita de forma adequada.

Considere recuperar os dados com quem trabalha para que você economize tempo, dinheiro e, não tenha mais dores de cabeça desnecessárias.

+ 1
Anos de Mercado
+ 1
Clientes Atendidos
+ 1
Discos Rígidos Recuperados
+ 1
Data Centers Recuperados
+ 1
Fitas Magnéticas Recuperadas

Especialista em Recuperar Dados em Fitas Magnéticas - PhD Recovery

Os diagnósticos avançados da PhD Recovery, são realizados por profissionais especializados em recuperação de dados alocados em fitas magnéticas e, estão prontos para desenvolver uma solução customizada para cada projeto que demanda algum tipo de diferenciação. 

Conte com esse time de especialistas para recuperar com êxito os dados e suprir as demandas necessárias da sua empresa.

Permita que a PhD Recovery demonstre que é possível. 

Por meio de um NDA (Contrato de Confidencialidade) customizado para o seu projeto, a PhD Recovery garante a confidencialidade total durante todo o processo de recuperação dos dados ou caso seja mais confortável, podemos usar um NDA que a sua empresa tenha desenvolvido internamente para esse fim.

Dispomos de uma ampla e sólida estrutura física, uma equipe de especialistas, altamente qualificados e, com acesso ao que há de melhor e mais atual em tecnologia, pois o nosso laboratório é completamente equipado com o intuito de atender a sua empresa da melhor forma possível.

Temos disponibilidade em trabalhar no seu projeto 24x7x365, pois sabemos a importância dos dados disponíveis em uma organização.

Recuperação de Tape
Recuperar Tape

WorkFlow Tape Recovery

1ºFASE
Envio de Mídias ou Upload de Arquivos

2ºFASE
Diagnóstico 
Avançado
3ºFASE
Reconstrução e Recuperação de Dados
4ºFASE
Homologação Remota e Roolback dos Dados

Problemas Comuns em Fitas Magnéticas

"A Fita Magnética Não Funciona Mais"

O desgaste natural dos componentes e do magnetismo da fita, podem impactar negativamente durante uma tentativa de restore.

"Um Usuário Mau Intencionado Danificou as Fitas"

Usuários mal intencionados com acesso ao ambiente de backup, que por muitas vezes são colaboradores desmotivados e magoados com a empresa.

"Houve Queda de Energia e os Dados Ficaram Inacessíveis"

Em alguns casos ocasiona a corrupção dos dados e, ainda pode resultar em danos físicos ao hardware de leitura das fitas.

"Os Arquivos Foram Sobrescritos"

O backup que precisa ser restaurado, sofreu sobreposição de dados por outro backup que foi gravado na mesma fita.

"Ao Transferir os Arquivos da Fita Houve Perda"

Em algumas ocasiões é necessário fazer a conversão do backup, para um dispositivo diferente ou até mesmo para uma fita contendo uma tecnologia mais atual, para que essa seja mais fácil de ser acessada pela equipe de TI.

"Os Dados Foram Corrompidos"

É um problema recorrente em Fitas Magnéticas mais antigas, normalmente acontece por conta de uma falha em sua estrutura interna, decorrente de problemas físicos, estimulados por fatores ambientais.

"Não Possuo Mais o Drive Para Leitura dos Arquivos"

Diversos projetos estão atrelados a necessidade de recuperar os dados que estão em uma fita que o cliente não possui mais o drive para a leitura adequada. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

"Umas Das Fitas de Backup Está com Defeito"

Existem cenários onde o backup precisa de duas ou mais fitas para que possa ser armazenado. Em muitos casos, uma das fitas apresenta um problema que impede o acesso a outras, pois existe uma certa interdependência entre elas, impedindo assim o restore.

"Não me Lembro Qual Software Usei Para Gravar os Arquivos"

Em diversas ocasiões o cliente precisa recuperar os dados de uma fita que não sabem mais o nome do software de backup que gravou os dados originalmente.

6 Dicas de Ouro para Quem Faz Uso de Fitas Magnéticas

1.

Procure manter as fitas de backup em uma temperatura entre 16°C e 32°C;

2.

Sempre que possível, armazene as fitas de backup em um ambiente que a umidade relativa do ar esteja entre 20% e 80%;

3.

É muito importante que se tenha um controle rigoroso na proteção das fitas contra qualquer tipo de poluição, seja ela provocada por poeira, gases corrosivos ou fumaça;

4.

Se o dispositivo molhou, por um acidente ou até mesmo por um desastre, procure por um especialista o mais rápido possível, para assim, receber orientações vitais para esse tipo de acontecimento;

5.

De forma alguma tente abrir a fita com a intenção de limpar ou de fazer um diagnóstico sem ter o preparo técnico específico para a ocasião;

6.

Em caso de necessidade de restore, sempre ative antes, a trava de segurança física presente em todas as fitas contra futuras gravações.

Nossos Serviços de Recuperação de Fitas Magnéticas

Problemas Lógicos

Falha no Restore, Backup set incompleto e Ataque Ransomware

Problemas Físicos

Problemas físicos nos drives de backup, Ruptura de um trecho da fita, Invólucro quebrado.

Portabilidade dos Dados

Quando o backup precisa ser transferido para uma outra mídia mais moderna.

Perícia Forense

Restaurar os dados que estavam armazenados, de forma íntegra e estruturada para o uso exclusivo judicial.

Já Recebeu um Diagnóstico Negativo?

A PhD Recovery é conhecida como a última solução em casos de alta complexidade.

Principais Modelos de Fitas Magnéticas

Fitas LTO

Fitas DAT

Fitas DDS

Fitas DLT

Fitas SDLT

Fitas SLR

Fitas AT

Fitas TR

Fitas QIC

FAQ | Perguntas Frequentes

Questões Técnicas

Na grande maioria dos cenários, a gravação dos dados em fitas magnéticas, são realizadas através de um software de backup. Partindo do princípio que as fitas estão em perfeito estado e o ambiente original foi preservado, o software de backup utilizado para gravar os dados inicialmente, consegue ler um banco de dados específico para apoiar no processo de catálogo, para assim, recuperar os dados contidos na fita. 

Em cenários onde as fitas estão instáveis ou o ambiente original não foi preservado, possivelmente o restore sofrerá algum tipo de impacto negativo durante o processo de tentativa de recuperação.

Fale com um especialista, clique aqui.

  • Pequenos acidentes que causam impactos físicos indesejáveis e inadequados as fitas;
  • Custódia inadequada, provocando problemas no seu mecanismo de funcionamento;
  • Fitas com setores danificados (Bad Blocks);
  • Backup set incompleto.

Fale com um especialista, clique aqui.

A PhD Recovery é especialista em recuperação e restauração de dados em Fitas Magnéticas e, esses são os modelos e os tipos de fitas mais comuns que a PhD Recovery recebe para recuperar:

Especificações fita LTO 1

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 1
  • Ano de lançamento: 2000
  • Capacidade nativa de dados: 100 GB
  • Capacidade comprimida de dados: 200 GB
  • Taxa de transferência nativa: 20 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 40 (MB/s)
  • Função WORM: Não
  • Função encriptar: Não
  • Função particionamento: Não
  • Espessura da fita: 8.9 µm
  • Comprimento da fita: 609 m
  • Número de trilhas: 384
  • Memória do cartucho: 4.096 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 2

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 2
  • Ano de lançamento: 2003
  • Capacidade nativa de dados: 200 GB
  • Capacidade comprimida de dados: 400 GB
  • Taxa de transferência nativa: 40 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 80 (MB/s)
  • Função WORM: Não
  • Função encriptar: Não
  • Função particionamento: Não
  • Espessura da fita: 8.9 µm
  • Comprimento da fita: 609 m
  • Número de trilhas: 512
  • Memória do cartucho: 4.096 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 3

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 3
  • Ano de lançamento: 2005
  • Capacidade nativa de dados: 400 GB
  • Capacidade comprimida de dados: 800 GB
  • Taxa de transferência nativa: 80 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 160 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Não
  • Função particionamento: Não
  • Espessura da fita: 8.0 µm
  • Comprimento da fita: 680 m
  • Número de trilhas: 704
  • Memória do cartucho: 4.096 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 4 

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 4
  • Ano de lançamento: 2007
  • Capacidade nativa de dados: 800 GB
  • Capacidade comprimida de dados: 1.6 TB
  • Taxa de transferência nativa: 120 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 240 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Sim
  • Função particionamento: Sim
  • Espessura da fita: 6.6 µm
  • Comprimento da fita: 820 m
  • Número de trilhas: 896
  • Memória do cartucho: 8.160 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 5

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 5
  • Ano de lançamento: 2010
  • Capacidade nativa de dados: 1.5 TB
  • Capacidade comprimida de dados: 3.0 TB
  • Taxa de transferência nativa: 140 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 280 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Sim
  • Função particionamento: Sim
  • Espessura da fita: 6.4 µm
  • Comprimento da fita: 846 m
  • Número de trilhas: 1280
  • Memória do cartucho: 8.160 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 6

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 6
  • Ano de lançamento: 2012
  • Capacidade nativa de dados: 2.5 TB
  • Capacidade comprimida de dados: 6.25 TB
  • Taxa de transferência nativa: 160 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 400 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Sim
  • Função particionamento: Sim
  • Espessura da fita: 6.1 µm
  • Comprimento da fita: 846 m
  • Número de trilhas: 2716
  • Memória do cartucho: 16.352 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 7

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 7
  • Ano de lançamento: 2015
  • Capacidade nativa de dados: 6.0 TB
  • Capacidade comprimida de dados: 15.0 TB
  • Taxa de transferência nativa: 300 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 750 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Sim
  • Função particionamento: Sim
  • Espessura da fita: 5.6 µm
  • Comprimento da fita: 960 m
  • Número de trilhas: 3584
  • Memória do cartucho: 16.352 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 8

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 8
  • Ano de lançamento: 2017
  • Capacidade nativa de dados: 12.0 TB
  • Capacidade comprimida de dados: 30.0 TB
  • Taxa de transferência nativa: 300 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 750 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Sim
  • Função particionamento: Sim
  • Espessura da fita: 5.6 µm
  • Comprimento da fita: 960 m
  • Número de trilhas: 6656
  • Memória do cartucho: 16.352 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

Especificações fita LTO 9

  • Tipo: Fita magnética para backup e armazenamento de dados LTO 9
  • Ano de lançamento: 2020
  • Capacidade nativa de dados: 18.0 TB
  • Capacidade comprimida de dados: 45.0 TB
  • Taxa de transferência nativa: 400 (MB/s)
  • Taxa de transferência comprimida: 1000 (MB/s)
  • Função WORM: Opcional
  • Função encriptar: Sim
  • Função particionamento: Sim
  • Espessura da fita: 5.6 µm
  • Comprimento da fita: 960 m
  • Número de trilhas: 6656
  • Memória do cartucho: 16.352 bytes
  • Durabilidade: 30 anos

A PhD Recovery é especialista em recuperar Fitas Magnéticas de todos os fabricantes e de todos os modelos disponíveis no mercado. Se caso o modelo que você utiliza não estiver na lista acima, não se preocupe, pois a equipe de especialistas da PhD Recovery é capacitada para recuperar todos os modelos já lançados.

Fale com um especialista, clique aqui.

Sim. Sem sombra de dúvidas o backup em Tape ainda vale a pena, pois é um método muito seguro para garantir efetivamente a recuperação dos dados caso seja necessário, principalmente contra ataques Ransomware, pois o fato do backup em fita ser offline, impede que os dados alocados na fita magnética sejam criptografados, sendo assim, uma fonte segura para o restore.

Fale com um especialista, clique aqui.

Normalmente sim, pois usamos técnicas que conseguem superar algumas limitações impostas pelo software de backup quando o assunto está relacionado a tratamento de arquivos que por algum motivo não estão íntegros.

Fale com um especialista, clique aqui.

Existem diversas vantagens de manter o backup dos dados em fitas magnéticas, seguem as principais:

  • Maior flexibilidade em guardar uma cópia do backup fora da empresa;
  • Redução de custo em energia, pois as fitas armazenadas não consomem energia;
  • Redução de custo em armazenamento para o backup, pois as fitas armazenam os dados de forma compactada;
  • Maior tempo de vida útil comparado com dados alocados em discos rígidos;
  • Maior proteção contra ataques Ransomware, pois o fato do backup em fita ser offline, impede que os dados alocados na fita magnética sejam criptografados, sendo assim, uma fonte segura para o restore.

Fale com um especialista, clique aqui.

A vida útil de uma fita magnética está muito relacionada a como ela é armazenada em seu local de custódia, ou seja, caso ela seja armazenada em um local seguro e apropriado, em condições controladas de clima, ela pode ter uma vida útil com mais de 40 anos.

Fale com um especialista, clique aqui.

Mesmo a fita sendo uma forma de armazenamento muito resistente e sólida, existem casos onde há uma ruptura na fita magnética. Essa ruptura está muito atrelada a qualidade do drive em que a fita é inserida. Em um cenário como esse, é importante realizarmos um diagnóstico avançado, para assim, avaliarmos a viabilidade de recuperação dos dados alocados na fita magnética contendo a ruptura em questão.

Fale com um especialista, clique aqui.

Diferentemente  de todas as outras formas físicas de armazenamento de dados, as Tapes são muitas vezes mais resistentes, isso significa que as Fitas Magnéticas estão menos propensas a apresentarem problemas após um impacto indesejado. O que é totalmente diferente de um disco rígido, que após uma pequena queda ou um leve impacto, já é capaz de danificar e, consequentemente comprometer os dados.

Para quaisquer problemas referente a uma Tape, que seja proveniente de uma queda ou de um forte impacto, entre em contato conosco, para assim, compartilharmos algumas informações vitais e providenciais para esse tipo de situação.

Fale com um especialista, clique aqui.

Seguem as principais situações em que o restore só é possível em um laboratório especializado em recuperação de dados em fitas magnéticas:

  • O invólucro da fita ou um dos seus mecanismos se apresentam quebrados ou desmontados, não permitindo o carregamento na unidade de fita.
  • Nas fitas LTO, pode acontecer do lead de metal, localizado na ponta da fita, se soltar dentro do invólucro ou até mesmo se romper. Tem casos em que a fita fica presa no drive, sendo importante ser manuseada por um profissional qualificado ou enviar para nós o drive com a fita dentro.
  • A fita não consegue ser catalogada pelo software de backup para a visualização e escolha dos arquivos para o restore. Esse fato acontece muito com fitas mais antigas.
  • Software de backup na versão atual ficou incompatível para ler as fitas gravadas por versões anteriores. Por incrível que pareça isso acontece com fitas armazenadas por um longo período e, se faz necessário o restore de alguns arquivos. Problemas como esses também são muito notáveis em backups de bancos de dados realizados pelos agentes do software de backup no servidor de banco.
  • Erros de leitura devido a Bad Blocks encontrados na fita.

Fale com um especialista, clique aqui.

Bad Block é uma deficiência do sinal magnético de um bloco de gravação na fita. Podem ser originados por fitas muito usadas, desgastadas ou por trecho de fita que foi dobrado ou amassado pelo drive de backup.

Fale com um especialista, clique aqui.